Periferia Viva apoia iniciativas com a escrita de projetos para editais culturais

Pequenos Campeões, Mulheres da Quebrada e Movimento Livre Eu Amo Minha Quebrada foram selecionados para o ARte Salva; outros grupos participam de edital do Fundo Municipal de Cultura de BH

  • Data: 13 de agosto de 2020
  • Categoria(s): Tá dando certo

Morto em maio deste ano por Covid-19, o psiquiatra e compositor carioca Aldir Blanc, um dos principais letristas da música brasileira, escreveu na música “Agnus Sei”, primeira parceria dele com o mineiro João Bosco, que o tempo vence toda a ilusão.

Envolvida em uma ilusão, que o tempo não pode vencer, está a lei que leva o nome do compositor, aprovada no final de junho pelo Congresso. A lei Aldir Blanc disponibiliza 3 bilhões de reais da União para minimizar os efeitos da pandemia no setor cultural. 

As prefeituras e os estados poderão, com o dinheiro, pagar parcelas de auxílio emergencial de R$ 600,00 para trabalhadores informais da cultura que não tenham recebido o auxílio geral, bem como conceder subsídios e financiamentos para empresas e espaços artísticos e culturais impactados pela pandemia de Covid-19. 

Além disso, o dinheiro servirá para incentivar a produção de cultura local, como a realização de cursos, pagamentos de prêmios e editais para eventos. Enquanto prefeituras e estados se organizam para fazer a melhor distribuição do dinheiro, o presidente da República assinou somente em 18 de agosto a regulamentação que prevê a data para a liberação dos recursos. Por esse motivo, nenhuma quantia dos 3 bilhões de reais ainda foi disponibilizada.

Escrita de projetos para editais 

Como a necessidade de sobrevivência não esperou a canetada do presidente Jair Bolsonaro, outras iniciativas têm surgido para auxiliar emergencialmente o setor cultural. Em Minas Gerais foi criado o ARte Salva, programa do Governo de Minas com cursos de capacitação e estudos de impactos, lives artísticas e editais.

Diante da importância de acessar essas fontes de recursos por parte dos grupos apoiados pelo Periferia, o auxílio para a elaboração de projetos é a mais nova frente de trabalho da rede. Para a inscrição no edital ARte Salva, que disponibilizou R$2,5 milhões em premiações para os realizadores da cena cultural mineira, o Periferia auxiliou oito grupos. Desses, três tiveram seus cadastros aprovados, sendo selecionados para receber o incentivo previsto para a produção de material audiovisual: Pequenos Campeões, Mulheres da Quebrada e Movimento Livre Eu Amo Minha Quebrada. 

Com a participação imprescindível de voluntários com vasta experiência na elaboração de projetos, a Periferia também auxiliou seis grupos no envio de projetos para o edital 2020 do Fundo Municipal de Cultura de Belo Horizonte. Além de um vídeo tutorial explicando sobre o edital, foi feito um encontro virtual para tirar dúvidas sobre o edital em andamento. 

Pequenos Campeões

Para Tamara Fernandes, do Pequenos Campeões, a expectativa com a aprovação no ARte Salva, para além de maior visibilidade do projeto, é a possibilidade de auxiliar novas famílias da região nordeste da cidade, como as das vilas São Sebastião, Inestan, Paz e Santa Rosa (Pampulha). Ela ressalta que “sem o Periferia Viva não conseguiria realizar a inscrição, por falta de experiência com editais, nem mesmo o cadastro. A ajuda foi de extrema importância em todas as etapas”.

Acesse o Instagram do Pequenos Campeões para conhecer mais sobre o projeto. 

Acompanhe o Boletim e nosso Instagram para novas informações sobre a próxima força-tarefa do Periferia Viva sobre a escrita de projetos para editais. 

Texto do voluntário Ives Teixeira Souza


Últimas do instagram

The access_token provided is invalid.