Mês das crianças: Periferia Viva lança iniciativa para arrecadar livros e brinquedos

Grupos que compõem a rede participam da campanha que propõe o estreitamento do vínculo afetivo entre as famílias e as crianças; doações podem ser entregues na AIC, no bairro Floresta, ou diretamente aos coletivos; acompanhe pelo Instagram do Periferia

  • Data: 2 de outubro de 2020
  • Categoria(s): Compartilhar para multiplicarDestaques

Em 1980, foi exibido um dos mais importantes programas infantojuvenis produzidos pela televisão brasileira, que àquela época completava 30 anos. O especial da TV Globo “Vinicius para crianças – A arca de Noé”, idealizado a partir de poemas lançados em livro dez anos antes pelo diplomata e escritor Vinicius de Moraes, aproximou as crianças brasileiras da necessidade de preservação ecológica. 

Na atualidade, para além da preservação ecológica, as crianças brasileiras precisam aprender a enfrentar os desafios impostos pela pandemia de Covid-19, com a diminuição dos vínculos de socialização, que acontece na escola e em companhia de outros amigos. 

Como explica a psiquiatra infantil e professora da UFMG Ana Maria Lopes, em entrevista ao portal da Faculdade de Medicina da UFMG, a pandemia impôs alterações que comprometem a comunicação, o comportamento, o raciocínio e o humor dos indivíduos. 

Para estreitar esses vínculos possíveis, a Periferia Viva coordena uma iniciativa para auxiliar os grupos que compõem a rede a arrecadarem brinquedos, livros e guloseimas para as crianças. em situação de vulnerabilidade social.

Brinquedos, guloseimas, livros e roupas infantis serão recebidos no posto de coleta da Periferia Viva, que depois vai distribuir as doações para os coletivos.  Elas podem ser entregues entre os dias 5 e 9 de outubro na sede da Associação Imagem Comunitária (AIC), na rua David Campista, 247, no bairro Floresta. Mas é preciso agendar horário pelo WhatsApp (31) 99124-3701, para evitar aglomeração de doadores.

Outra forma de apadrinhar as ações é entrar em contato diretamente com os coletivos que participam da iniciativa. É só conferir os contatos no Instagram da Periferia Viva e ao final deste texto.

Leituras e brincadeiras: fator de proteção mental 

Se o ambiente familiar, assim como a escola, é um dos principais espaços para a socialização das crianças, o brincar, para além de compor o autoconhecimento da criança, também permite a interação com os espaços simbólicos do mundo. 

A professora Maria Angela Carneiro, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), explica que brincar é um processo comunicacional que deve envolver pelo menos duas pessoas, o que permite a criação de vínculos. Esses vínculos seriam, inclusive, fatores de proteção da mente tanto das crianças quanto dos adultos.

Neste momento de pandemia, Maria Angela sugere aos pais brincarem com seus filhos como forma de diminuir os impactos negativos do distanciamento social.. 

“Os pais, por vezes perdidos porque também não brincaram, não sabem como proceder e, nem sempre, têm repertório para fazê-lo. Razão pela qual oferecem tablets, celulares e videogames para entretê-los, sem ter a preocupação de orientá-los adequadamente para os perigos do uso excessivo das mídias e de grande parte das informações que circulam por ela”, afirma, em artigo, a pedagoga e professora titular da PUC-SP. 

Por isso, de acordo com a professora, as atividades com as crianças precisam abranger o lúdico, a diversão, o que auxilia para o desenvolvimento da criatividade. Para aumentar o vínculo, a leitura também pode ser uma interessante atividade para o convívio. 

Janayna Brejo, escritora de livros infantis e professora da Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), destaca que os adultos precisam buscar diminuir as angústias das crianças durante a pandemia. A literatura infantil seria uma forma de alívio, ao encorajar o enfrentamento dos obstáculos e servir como um momento de conquista de liberdade. 

“Quando se traz a literatura para dentro de casa, se proporciona um espaço de discussão da experiência humana no ambiente familiar, uma vez que as metáforas contidas nos textos permitirão relacionar a ficção com realidade, ampliando, dessa forma, a consciência e o olhar. Nesse universo, adultos e crianças refletem juntos, realizando o exercício de falar e ouvir e, sobretudo, de realmente desfrutarem de momentos inesquecíveis de convívio e de aprendizado”, esclarece Janayna, em artigo para o jornal Pensar a Educação Em Pauta, da UFMG. 

Dia da criança

Em novembro de 1924, o mineiro Arthur Bernardes, então presidente da República, instituiu em todo o país o dia 12 de outubro como o “Dia de Festa de Criança”. Naquele ano, a Liga das Nações ratificou a primeira declaração dos direitos das crianças. A Organização das Nações Unidas (ONU) apenas em 1959 instituiu o dia 20 de novembro como o Dia Mundial da Criança, data em que foi aprovada a Declaração Universal dos Direitos da Criança. 

Em 1990, o presidente Fernando Collor de Mello sancionou o ainda em vigor Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que alinha à proteção integral da criança (até 12 anos de idade incompletos) e do adolescente no Brasil. Para garantir a aplicação do ECA, há vários atores públicos que atuam em conjunto, cada um com sua função, para a aplicação dos direitos das famílias, das crianças e dos adolescentes. 

Apadrinhe as ações

Mulheres da Vila Nova

Entrega de presentes para as crianças do bairro Jaqueline

Como ajudar? Doação de brinquedos, guloseimas, revistas de colorir, lápis de cor, roupas infantis e recursos financeiros.

Contato: Isabelle (31) 98902-5111

Resiliente Slum

Distribuição de lembrancinha para as crianças da Vila Ventosa

Como ajudar? Doação de brinquedos, guloseimas, revistas de colorir, lápis de cor, roupas infantis e recursos financeiros.

Contato: Fábio (31) 98657-5234

Casa Hip Hop Taquaril e Projeto Rosas de Saron

Arrecadação de brinquedos e lembrancinhas para as criação da Taquaril.

Como ajudar? Doação de brinquedos, guloseimas, revistas de colorir, lápis de cor, roupas infantis e recursos financeiros.

Contato: Sandro (31) 97144-1799

Mulheres da Quebrada

Outubro Rosa com o Dia das Crianças: entrega de kit para as mães e lembranças para as crianças 

Como ajudar? Doação de itens de higiene pessoal e beleza, guloseimas e brinquedos.

Contato: Simone (31)99226-3869 / (31)99328-8539 

ONG Fala bem Morro

Entrega de lembrancinhas para as crianças

Como ajudar? Doação de brinquedos, guloseimas, revistas de colorir, lápis de cor e recursos financeiros

Contato: Natália (31) 99849-0694

Projeto Pequenos Campeões

Lanche e entrega de produtos para as crianças

Como ajudar? Doação de brinquedos e alimentos para lanches

Contato: Tamara (31) 98731-5881

Associação Arte para conquistar sonhos

Entrega de presentes para as crianças

Como ajudar? Doação de brinquedos, roupas e recursos financeiros

Contato: Jaime (31) 98662-4649 / (31) 97300-2390

Organização de Lúpicos em Ascensão

Entrega de kits para as crianças

Como ajudar? Doação de chocolates, balas, pirulitos, pipocas, refrigerantes de garrafinha, máscaras infantis, bolas e bonecas.

Contato: Roberta (31)99661-3359

Creche Zilah Spósito

Entrega de lanches, brinquedos e lembrancinhas para as crianças do Zilah

Como ajudar? Doação de brinquedos, guloseimas, revistas de colorir, lápis de cor e recursos financeiros.

Contato : Marlene (31) 98700-3328

Projeto Romper e Casa Acolher

Semana de gincanas e brincadeiras dentro de casa

Como ajudar? Doação de guloseimas, suco de caixinha, refrigerante de garrafinha, sorvete no pote, salgadinhos, docinhos, revistas para ler e colorir e brinquedos

Contato: Jhutay (31)99435-4330

Acompanhe a campanha pelo Instagram da Periferia Viva. 

Texto do voluntário Ives Teixeira Souza


Últimas do instagram

The access_token provided is invalid.